29 de nov de 2016

“O Baraúnas tá guardado no coração”, revelou Bruno Rangel antes de embarcar em voo trágico


O sonho da Chapecoense de conquistar a Sul-Americana teve fim com um trágico acidente aéreo na noite desta terça-feira (29), na Colômbia. A última viagem do time que virou sensação do país ao sair do Campeonato Brasileiro Série D, em 2007, para a elite do futebol nacional e à final de um torneio internacional iniciou no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. No local, antes do embarque, o atacante Bruno Rangel, de 34 anos, encontrou-se com um funcionário e torcedor de um ex-clube, o Baraúnas, de Mossoró.
Yhan Victor, de 22 anos, estava a espera do voo para Fortaleza, de onde partiria para sua casa, em Mossoró. O jovem trabalha na assessoria de imprensa do Baraúnas e estava em São Paulo em um intercâmbio com o Palmeiras, campeão do Campeonato Brasileiro deste ano. Ele conta que ao ver a presença do time de Chapecó se pôs a procurar por Bruno Rangel, que jogou no tricolor mossoroense em 2009.
“Cheguei perto dele, disse que trabalhava no Baraúnas, e pedi pra ele gravar uma entrevista pra eu usar no clube e na Rádio Rural de Mossoró. Ele topou na hora”, revela Yhan.

A entrevista foi gravada ali mesmo, no aeroporto, e pode ser conferida a seguir.

Yhan: Fala sobre sua passagem no Baraúnas e como chegou até aqui!

Bruno Rangel: Uma passagem um pouco rápida pelo Baraúnas, né? Um aprendizado. Graças a Deus minha carreira seguiu e hoje eu tô aqui na Chapecoense. Tenho muito carinho pela torcida e quero mandar um grande abraço a todos.

Yhan: No Baraúnas você não foi bem e hoje é um dos maiores artilheiros do Brasil. Como você vê isso?

Bruno Rangel: Acontece. Não deu certo e levantei a cabeça e continuei trabalhando.

Yhan: Você acompanha o Baraúnas ainda?

Bruno Rangel: Pouco, pouco né? Não passa muito o campeonato do Rio Grande do Norte. Mas pode ter certeza que por onde eu passar vou tá com o Baraúnas guardado no coração.

Yhan: Qual a mensagem pro torcedor do Baraúnas?

Bruno Rangel: Foi um prazer ter passado por lá. Guardo com muito carinho minha passagem lá.

Deixou as portas abertas

A reportagem conversou com o dirigente do Baraúnas Zezinho Mossoró, que era auxiliar do time em 2009. Ele comentou o convívio com Bruno Rangel e afirmou que, embora não tenha sido bem, o jogador que saiu antes do fim do Estadual, “deixou as portas abertas”.

“Lamentavelmente ocorrido. O presidente era João Dehon e contratou Bruno por indicação do técnico Samuel Cândido. Na época, eu era auxiliar. Era um jogador muito humilde. Não é porque ocorreu isso não, digo com certeza. Ele mostrou profissionalismo tanto que mesmo sem render o esperado, o que a gente sabe que acontece, ele deixou as portas abertas. Ele tinha capacidade e você vê como ele cresceu em outros clubes, na própria Chapecoense”, declarou Zezinho. Fonte - Ayrton Freire

Aldeir Torres
Aldeir Torres

Obrigado por visita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário