6 de set de 2016

Que pena! O União é excluído da Copa do Brasil

O União Independente de Extremoz, representante do Rio Grande do Norte na Copa do Brasil de Futebol Feminino, foi excluído da competição pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva, após julgamento nesta sexta-feira, 2. Na primeira fase da competição, o time potiguar havia vencido as duas partidas contra o Caucaia-CE e garantido a classificação para a segunda fase.
A punição ocorreu devido à escalação da atleta Sintia Justino de Melo sem contrato de trabalho, na vitória por 3 a 1 contra o time do Ceará, em jogo realizado no dia 24 de agosto. Após a partida, a Diretoria de Competições da CBF identificou a irregularidade e comunicou ao tribunal.
Na denúncia, a procuradoria fez constar o que dispõe o artigo 46, parágrafo único do RGC, que pede a exclusão da equipe em competições mata-mata. Em defesa do União, Osvaldo Sestário sustentou lembrando que a equipe se organizou para a competição e ganhou de goleada as duas partidas contra o Caucaia. Para a defesa, há precedentes de aplicação apenas da perda de pontos, o que faria com que o clube permanecesse na competição. Sestário lembrou a decisão do pleno que aplicou perda de pontos ao Grêmio no caso do goleiro Aranha e pediu que a mesma pena fosse aplicada ao União.
Relator do processo, o auditor Adilson Simas afirmou que, “no caso específico, era mata-mata a competição e não há como fugir e não aplicar a pena prevista no código que é de exclusão.”
Outra punição
Além da exclusão, o União foi multado em R$ 100 por atraso na entrega na relação de atletas. A decisão, proferida em primeira instância, cabe recurso. O Caucaia também foi penalizado. Na súmula da partida o árbitro informou que ambas as equipes atrasaram a entrega da relação de atletas e que as mesmas não continham qualquer identificação pessoal ou inscrição da CBF.
O Subprocurador-geral Gustavo Silveira reiterou os termos da denúncia. Para Gustavo o atraso na entrega da relação dificulta o trabalho da imprensa que pode divulgar informações erradas. Com relação à escalação irregular, o representante da procuradoria ressaltou que o artigo é claro que em competições eliminatórias a exclusão é o caminho a seguir. FontePortal no Ar
Aldeir Torres
Aldeir Torres

Obrigado por visita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário