8 de ago de 2014

Aldeir Torres - Mesmo rico e poderoso

 Corinthians optou por não pagar impostos


Foi divulgada durante o dia a notícia que o ex-presidente do Corinthians Andrés Sanchez e os então diretores Roberto de Andrade, Raul Correa e Silva e André Luiz de Oliveira foram acusados pelo Ministério Público por crime fiscal. O Corinthians deixou de pagar, entre fevereiro de 2007 e agosto de 2012, 95 milhões de reais em impostos, que estão sendo agora recolhidos. Tanto que o clube possui as CND – Certidões Negativas de Débito, um atestado que está em dia com o recolhimento de impostos. No fim da tarde a Rádio Globo entrevistou o diretor jurídico do clube, Luiz Alberto Bussab, que tentou explicar porque o clube ficou cinco anos e meio sem pagar os tributos. A justificativa oficial é que o clube estava devastado economicamente e não tinha como honrar os compromissos naquele momento. Bem, os dirigentes do Corinthians optaram por não pagar impostos, mesmo isso sendo contra a lei. Não que seja justificável, mas em 2007 e 2008 o clube viva uma gravíssima crise financeira. Depois disso, no entanto, as coisas mudaram consideravelmente. Em 2009, 2010 e 2011 o clube teve a maior receita do futebol brasileiro. Nenhum clube no futebol brasileiro ganhou mais dinheiro que o Corinthians.


Em 2009, o clube teve faturamento de 181 milhões contra 176 do Internacional, segundo colocado. Em 2010, o Corinthians arrecadou 212 milhões de reais; o Inter arrecadou 200 milhões. Em 2011, 290 milhões de arrecadação, o São Paulo foi o segundo com 224 milhões. Não que estar em crise financeira em 2007 e 2008 justificasse o não pagamento. Mas dizer que o clube não tinha dinheiro para pagar impostos entre 2009 e 2011 é um absurdo. O Corinthians optou não cumprir suas obrigações para ter um time forte dentro de campo. Virou uma potência, contratou ótimos jogadores, manteve outros jogadores top porque podia pagar altos salários. Não só do ponto-de-vista jurídico é uma atitude incorreta. Desportivamente também foi sujo. O clube levou vantagem em relação aos outros porque teve mais dinheiro para investir no futebol. Mesmo quando o Corinthians se tornou o clube mais poderoso do Brasil, seguiu optando por não pagar impostos.


Veja abaixo as dívidas fiscais dos clubes brasileiros, veremos que sete têm débitos superiores a 100 milhões, sendo que três devem mais de 200 milhões. Herança de outras administrações ruins e que também não pagaram suas contas.


Os dirigentes acusados do Corinthians são mais uma mostra de que ir contra a lei, quando se trata de futebol, pode ser apenas uma opção fácil.
Aldeir Torres
Aldeir Torres

Obrigado por visita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário