18 de ago de 2014

Aldeir Torres - Márcio Mossoró

 Lamenta atual situação financeira do Baraúnas!


Com 31 anos, Márcio Mossoró já tem uma boa bagagem no futebol. Ganhou destaque no Paulista-SP, em 2005. Depois se transferiu para o Internacional e posteriormente atuou muito bem quando foi contratado pelo Braga, de Portugal. Seu último clube foi o Al Ahli, dos Emirados Árabes. Ele rescindiu contrato com os árabes há 20 dias e neste período passa as férias em Mossoró, enquanto não acerta com outra agremiação. Propostas não faltam, mas Márcio é paciente e espera a hora certa para assinar um novo vínculo. Enquanto isso, o jogador mantém a forma no Baraúnas e acompanha de perto a situação do clube na Série D. Márcio chegou a ajudar financeiramente o Tricolor (a marca MM8 está presente no uniforme de treino do clube), pagando a regularização de vários atletas para a disputa da quarta divisão. O jogador lamentou a atual fase financeira do time mossoroense. “Quando você firma um contrato o clube é obrigado a cumprir os seus deveres, como os jogadores são obrigados a cumprir com os deveres dele. Quando os resultados positivos não saem fica mais difícil os patrocínios, sócios ajudarem, aquelas pessoas que gostam de futebol dar o seu apoio. Este ano é apenas mais um caso desses. Meu irmão (Zezinho) já está dentro há uns quatro anos e eu acompanho de fora. A gente tenta ajudar com aquilo que pode. Sei que não é muito, mas acho que dá para ajudar”, comentou. Apesar da situação delicada do Baraúnas, Márcio aconselha os atletas a darem o máximo para conseguirem um ‘pulo’ na carreira. “O que eu sempre falo para eles é que eles têm que estar no Baraúnas pensando em dar um pulo. Não importa onde você esteja, tem sempre alguém olhando. Servem para mostrar que tem capacidade de estarem em outro clube, assim como fiz em Portugal, na Arábia, no Brasil. Nunca me acomodei e nem relaxei por isso e aquilo. Eles têm que pensar assim”, destacou. Questionado se tem o interesse de ser dirigente do Baraúnas futuramente, assim como seu irmão, Márcio explicou que tem outro sonho. “Pensar em ajudar eu penso, mas como dirigente ou presidente, não passa pela minha cabeça. Meu objetivo é ser treinador logo que eu não tenha mais condições de jogar. Do que a gente puder ajudar de forma financeira, ajudo”, disse. Márcio afirmou que recebeu propostas do futebol da Turquia, Brasil e Portugal. Ele não quis revelar qual clube está mais próximo de um acerto, mas deixou escapar que o Braga pode ser novamente o seu destino. “Como eu rescindi meu contrato já faz 20 dias na Arábia, não estou com pressa. Apareceram algumas coisas que eu achei que não fosse interessante. Tanto Brasil como Turquia, de volta para Arábia e outros países que só Deus conhece. Não quero mais ter essas aventuras. Já bastou um ano na Arábia. Estou esperando o momento certo. Estou com 31 anos e não posso mais estar rodando o mundo sem valer a pena. As conversas com o Braga ‘esquentaram’ esses dias. Mas vamos ver no que vai dar”, finalizou.


Aldeir Torres
Aldeir Torres

Obrigado por visita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário