11 de ago de 2014

Aldeir Torres - Abrindo o jogo.

Aqui não tem nenhum Bayern


Dois empates do Cruzeiro fora de casa e o time já não é isso tudo. Está dando brecha para os outros. Empate do Fluminense contra o Coritiba e o “carrossel do Cristóvão” – o que é um grande exagero – já é questionado. Outro exagero. Vitórias de Internacional e Corinthians em clássicos no domingo “reabrem” o campeonato e o São Paulo “volta a ser candidato” depois de vencer o Vitória. Olhar somente a distância na tabela a cada rodada vai fazer muita gente pensar que o Brasileiro é um torneio diferente a cada semana. O Cruzeiro empatou dois jogos fora, o que é absolutamente normal. Não fosse a luta do Botafogo e os dois gols anulados incorretamente em Criciúma, os resultados teriam sido diferentes. O time não oscilou nem baixou o seu nível. Simplesmente não ganhou o que é bem aceitável.


Quando o Bayern de Munique tropeça duas vezes seguidas na Alemanha ou o Real Madrid na Espanha é de se chamar a atenção. Aqui não. Nem Cruzeiro, nem Fluminense e nem os outros estão imunes a um bom jogo de um adversário inferior. Porque no Brasil o adversário inferior não é tão inferior como na Alemanha e pode, muitas e muitas vezes, complicar a vida e roubar pontos dos melhores times. Nas duas últimas rodadas, considerando os quatro primeiros colocados, Cruzeiro e Corinthians jogaram duas vezes fora de casa. Internacional e Fluminense duas vezes em seus domínios. O Inter aproveitou bem e fez 6 pontos, cariocas e paulistas marcaram 4 e o Cruzeiro voltou a BH com 2 pontos. Bom para o Inter e o Corinthians, que ganhou um clássico fora de casa. O Santos só havia perdido na Vila Belmiro duas vezes nos últimos dois anos, o que mostra a importância do resultado corintiano. É preciso entender a dificuldade do Campeonato Brasileiro. Campos ruins, estádios difíceis de jogar, adversários que precisam se superar a qualquer custo para reagir na competição. Como a distância entre melhores e piores não é tão grande como em outros países, os líderes perdem mais pontos e vão seguir assim até o final.


Estamos apenas na 14ª rodada. O campeonato sempre esteve aberto. A briga nunca se resumiu a Cruzeiro e Fluminense ou Corinthians. É impossível decretar que o São Paulo ou qualquer outro não vá crescer, encaixar uma boa sequência e chegar. Me chama a atenção a repercussão causada com dois jogos sem vencer do Cruzeiro e um empate do Fluminense. Parece que eles não são mais algo que nunca foram. Times perfeitos. Aqui não é Alemanha. Lá o Bayern de Munique fez 88% de aproveitamento. Se alguém quisesse ser campeão, precisaria fazer mais do que isso. Aqui, ninguém com 70% dos pontos ficou sem o título. Nosso campeonato é diferente, a disputa é maior, embora o nível seja inferior. Então, não se assustem com dois empates aqui, um tropeço em casa ali, um ponto bobo perdido lá. Pode ser, mas não é necessariamente sinal de queda definitiva e derrocada irreversível. É só o equilíbrio do futebol brasileiro agindo. E um ou outro erro de arbitragem.
Aldeir Torres
Aldeir Torres

Obrigado por visita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário