5 de ago de 2014

Aldeir Torres - Abrindo o jogo.

O puxão de orelhas do Barça em Neymar pela super exposição.


O jornal As publicou ontem que Neymar ganhou um “puxão de orelhas” do Barcelona por sua postura nas redes sociais. Por mais que ainda estivesse de férias (o jogador se reapresentou hoje, dia 05), o clube não vinha gostando de ver um atleta se recuperando de lesão em um iate em Ibiza num dia, no Japão no dia seguinte, e novamente em uma balada de Ibiza. Tudo isso em 48 horas. Não é a primeira vez que Neymar causa esse tipo de desconforto. E o clube está com a razão. Em 2013, quando o Barcelona passava por uma de suas maiores crises institucionais, no dia que o presidente Sandro Rosell renunciou, justamente por irregularidades na contratação de Neymar, o atacante publicou uma foto sorrindo e agradecendo a mais um dia. Não pegou nada bem e, segundo fontes do próprio clube, Neymar teria sido ‘duramente repreendido’ pela atitude. A super exposição de Neymar só pode prejudica-lo. Por mais que no momento crie um fenômeno de seguidores nas redes sociais e as postagens com um ou outro patrocinador aparecendo nas fotos lhe rendam algum bom dinheiro, a imagem que ele constrói de si próprio não é compatível com o que ele deve representar. Neymar gosta de aparecer como o moleque-alegre-da-bola-no-pé, com #ousadia e #alegria. O problema é que a imagem do “descompromissado que é muito bom de bola” se transforma só na imagem do descompromissado a cada jogo ruim que o atacante faça. As pessoas julgam que como alguém pode estar tão feliz, realizado (e milionário) se não consegue justificar em campo, trabalhando, o motivo de tanta felicidade, realização e um salário tão alto.


Cada vez mais o seu clube precisa de um jogador maduro, capaz de vencer os marcadores rivais e de ser protagonista. Ninguém quer que Neymar perca o sorriso, que seja menos feliz ou carismático. Ronaldinho Gaúcho reconstruiu a autoestima do mesmo clube jogando, sambando e sorrindo. Mas por mais que Roonie fosse indomável fora de campo sua exposição era bem menor que a de Neymar, até porque entre 2003 e 2008 as redes sociais não eram o que são hoje. A impressão é que nunca antes de postar uma foto com uma mensagem que vá fazer as fãs mirins suspirarem, ou os seus parças Tois lhe darem ainda mais tapinhas nas costas, Neymar pensa no tamanho do dano que causa a si próprio parecendo um adolescente, com idade e responsabilidade de adulto. Neymar não precisa parar de sorrir, deixar de se divertir ou ter amigos. Mas precisa entender que a melhor coisa que um jogador que ainda não tem nenhuma conquista que os jogadores tops têm pode mostrar é o tamanho do esforço que faz para melhorar e justificar tanta expectativa. A reprimenda do Barcelona é válida. E precisar puxar a orelha do segundo jogador mais bem pago do elenco e mais caro da história do clube mostra como Neymar está mais para um moleque que precisa ficar de castigo que para um homem ciente de suas responsabilidades.

Aldeir Torres
Aldeir Torres

Obrigado por visita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário