22 de set de 2013

Aldeir Tôrres - Adriano Gabiru

Falta de propostas faz herói do Inter no Mundial ir para o futebol amador
"Recebi essa proposta. Acabei aceitando pra não ficar parado". Herói do Inter na histórica conquista do Mundial de clubes em 2006, Adriano Gabiru definiu desta forma a decisão que tomou para dar prosseguimento na sua carreira. Desde junho deste ano, ele foi parar no Combate Barreirinha, time do futebol amador de Curitiba, por falta de opções.

"Por enquanto quero jogar. Não tenho empresário mais, sou eu mesmo eu que resolvo, falo com os caras. A gente conversa. Se não acertar, não posso fazer nada. Vou continuar jogando aqui até aparecer algo", se resignou a dizer o atleta de 36 anos ao nosso site. 

O último time profissional que Gabiru defendeu as cores foi o Guarani de Bagé em 2012. Mas o meio-campista ficou três meses e meio parado no clube do Rio Grande do Sul até decidir voltar para casa e esperar propostas, que não vieram. Foi quando ele optou por se aventurar no futebol amador.

No Combate Barreirinha, Gabiru disse que existe cobrança dos torcedores e reclamou da qualidade dos gramados do futebol amador. Ele recebe por jogo (não revelou quanto), que dá para ajudar no sustento da família, que também mora em Curitiba. Seu contrato vai até o final do atual campeonato, sem garantia de renovação.

Gabiru manteve a postura humilde ao rejeitar o status de estrela do time. "Em todos os clubes que joguei, nunca fui estrela. Outros jogadores tem mais estrela. Sempre dei meu máximo, mas craque nunca fui. Muitos são bem melhores".
Além do Inter, Adriano Gabiru teve passagem curta pela seleção brasileira, e defendeu as cores do Olympique de Marselha, Figueirense, Sport, entre outros clubes. Desde 2008, o volante passou a jogar por clubes de divisões cada vez menores, até parar no futebol amador. Ele disse não conseguir explicar o porquê do declínio na carreira

"Não sei, cara. O empresário também às vezes ajuda, às vezes complica. Acabou dando errado, não tem como explicar. Fui cada vez mais descendo. Acontece com alguns, aconteceu comigo. Não tem explicação. Acabou não dando certo".

Mas o herói do Inter em 2006 é enfático quando questionado se ainda pode jogar em alto nível no futebol profissional. Apesar das dificuldades, Gabiru mostra otimismo em conseguir cravar uma vaga em um clube da Série A ou da B em 2014.

"Tenho condições sim, com certeza. Se tiver oportunidade de jogar, com certeza, ôxe. Esse ano, sei lá, ou ano que vem. Já recebi ligações. Quero fazer uma pré-temporada boa, porque treino aqui, mas é de terça a quinta, não é todo dia".
Gabiru gabiru disse não ter mágoa da diretoria do Inter por ter sido dispensado do clube em 2008. "Não tenho nada contra diretoria. Às vezes, eles não querem um jogador, acontece. Futebol é assim". O veterano volante falou do carinho que ainda recebe dos torcedores do Colorado e relutou se considerar ídolo. "Pelo gol que fiz né. Ídolo tem muito. Falcão, Fernandão, Clemer... um monte né. Mas o torcedor acha sim, pelo gol que eu fiz contra o Barcelona", explicou Gabiru. "O importante é que me tratam muito bem".
Aldeir Torres
Aldeir Torres

Obrigado por visita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário